Medicina sem vestibular na Argentina - Reportagem Jornal Hoje


Reportagem no Jornal Hoje fala sobre o grande número de brasileiros que vão à Argentina estudar, pois no país não há o exame vestibular e as faculdades são de ótima qualidade.

Ao contrário do Brasil, onde a maioria tem de trabalhar para poder pagar a faculdade, a educação na Argentina é muito valorizada, e todos têm acesso à Universidade. A mais procurada pelo estrangeiros é a Universidad de Buenos Aires (UBA), ganhadora de quatro Prêmios Nobel, gratuita e de acesso universal.

Apesar do ingresso irrestito, para os estudantes brasileiros são necessários diversos trâmites, acordados pelo Mercosul. Por isso, recomendamos a procura de uma empresa especializada no serviço de assessoria ao estudante, como a EducAR Intercâmbios.

Como é feita a revalidação do diploma?

Atualmente, existem duas maneiras de um médico formado no exterior revalidar o seu diploma:

- A primeira é através do processo que é seguido por todos os diplomas de graduação obtidos no exterior. Pleitea-se a revalidação em qualquer Universidade Pública do país que tenha um curso na mesma área de conhecimento. Cada Universidade adota um procedimento próprio. Os passos para revalidação por este sistema são esclarecidos no site do MEC.

- A segunda é através do exame Revalida, específico para diplomas de medicina. Este exame busca padronizar e agilizar a revalidação dos diplomas médicos.

Há ainda uma terceira possibilidade, que está em fase de implantação, para diplomas de medicina obtidos em universidades credenciadas nos países do Mercosul. Se o acordo Arcu-Sul for implementado, um médico formado na Argentina poderá ter seu diploma automaticamente convalidado. 

Prova para médico com diploma do exterior

Estão abertas as incrições para o Revalida (Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos), que irá avaliar o reconhecimento dos diplomas dos candidatos formados em medicina no exterior.

As inscrições vão até o dia 10 de julho, pelo site revalida.inep.gov.br. No último exame, foram 628 inscritos, porém somente 281 compareceram às provas. Destes, somente 2 tiveram seus diplomas revalidados. Assim, devido ao baixo índice de aprovação, o Ministério de Educação prometeu reformular o exame,  que se encontra ainda em fase de implantação, pois a nota de corte havia sido excessiva.

O Revalida é feito para diplomas obtidos em Universidades de todo o mundo, diferentemente do acordo Arcu-Sul, que, se for implantado, visa a validação automática dos diplomas recebidos somente nos países do Mercosul. Assim, um médico formado na Argentina terá essas duas opções para revalidar o seu diploma.