Exame para formados no Brasil pode estar a caminho

Uma idéia bastante discutida é por que os formados em universidades brasileiras não precisam passar por um exame para saber se estão realmente aptos a exercer a profissão, como os formados no exterior precisam.

Pois o Cremesp, Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo, está tentando iniciar este caminho e intituiu participação obrigatória no exame que avalia a qualidade dos formados no Brasil. No ano passado, 46,7% dos participantes foram considerados inaptos a exercerem a medicina!

Com certeza, os médicos formados em universidades de qualidade no exterior, como a UBA, estão muito mais aptos do que os formados na maioria das universidades particulares brasileiras. O justo seria que os formados aqui também necessitassem convalidar seu diploma, caminho que começa a ser trilhado.

Confira mais na notícia do portal Último Segundo.

Matéria da Veja sobre revalidação

Matéria da revista Veja do dia 19/05/2012 trata sobre a facilitação da revalidação dos diplomas médicos:
 
"O governo federal prepara um decreto para facilitar a entrada de profissionais estrangeiros no Brasil. O principal objetivo da presidente Dilma Rousseff é abrir o mercado brasileiro para médicos do exterior, o que reduziria as filas nos hospitais dos principais centros e melhoraria o atendimento em cidades do interior onde há escassez dc profissionais de saúde. A medida também visa a atrair engenheiros e especialistas em informática, profissões de que o país carece. O decreto, que atenderá a pedidos de empresários à presidente, vai reduzir a burocracia na emissão de visto de trabalho e validação dos diplomas para os profissionais que venham ao Brasil já com contratos firmados com empresas nacionais."

Revalida poderá virar lei

O Revalida, exame nacional de revalidação de diploma médico, se consolidou e poderá virar lei, para garantir a sua continuidade permanente.

Defende Paulo Davim (PV/RN), autor do projeto de lei: "A vinda de médicos formados no exterior tem sido vista como uma fórmula de atacar o problema da carência em localidades mais remotas do Brasil. Então, é preciso consolidar o Exame e, para isso, sugerimos elevar sua instituição à categoria de lei, de forma que ele se transforme em política de Estado, e não apenas de governo".

Confira mais na notícia do SIS Saúde.

Governo pretende facilitar aprovação de médicos formados no exterior

Boa notícia para os que estudam medicina na Argentina: o governo federal pretende facilitar a aprovação de médicos formados no exterior, devido à carência desses profissionais no Brasil.

A ideia é flexibilizar a exigência ou até dispensar estrangeiros e brasileiros graduados em faculdades do exterior de fazer o exame para revalidação do diploma.

A presidente Dilma declarou, na reunião de cúpula dos Brics, que "Tem de ampliar o número de médicos atendendo no Brasil. Temos um dos menores números de médicos per capita (...) O Brasil vai ter de fazer um esforço nesse sentido, o Brasil tem de ter mais médicos".

Confira matérias sobre o tema no Estadão e no Valor Econômico.

Projetos de lei sobre revalidação

Três projetos de lei que tratam sobre revalidação de diplomas estão em andamento e, se aprovados, trarão inúmeras facilidades para os estudantes que cursam graduação no exterior:

1) O projeto de lei 3052/11 pretende permitir que universidades privadas possam revalidar diplomas de graduação obtidos no exterior. Atualmente, somente é permitido a universidades públicas revalidar o diploma.

2) O projeto de lei 399/2011 (mais conhecido como Arcu-sul) propõe o reconhecimento automático de diplomas oriundos de instituições de ensino superior estrangeiras de reconhecida excelência acadêmica. Confira notícia recente sobre o projeto no site do Senado.

3) O projeto de lei 15/2012 pretende simplificar o reconhecimento de diplomas de cursos de graduação em medicina expedidos por instituições de ensino superior estrangeiras, devido à carência de médicos no Brasil. Confira o texto do projeto aqui.

Projeto Provalida

Informações sobre o recente projeto Provalida, que irá revalidar diplomas de graduação em medicina expedidos por instituições de ensino estrangeiras, podem ser acessadas no site da UPE, clicando aqui.

Boa notícia sobre revalidação do diploma

Mais uma facilidade para a revalidação do diploma está por vir: a UPE (Universidade de Pernambuco) assinou termo de cooperação para revalidar diplomas de graduação em medicina expedidos por instituições de ensino estrangeiras, chamado de Provalida.

Confira a notícia aqui.

Medicina da UBA é a nº 1 da América Latina

Na área de Ciências da Vida e Medicina, a UBA (Universidade de Buenos Aires) se encontra em 59º lugar no ranking mundial de Universidades, sendo a número um na América Latina, na frente da USP, que se encontra em 70º lugar.

Confira o ranking clicando aqui.

Validação de diplomas mais próxima

O acordo Arcu-Sul, que visa o credenciamento de Universidades de qualidade no Mercosul e a validação automática dos diplomas obtidos nelas, recebeu mais um passo para sua aprovação: a PORTARIA No- 1.734 do MEC instituiu o INEP e o CONAES para credenciar e estabelecer critérios para o funcionamento do Arcu-Sul no país.

Confira o texto da Portaria na íntegra aqui.

Revalidação do diploma de medicina na UFMT

De acordo com notícia publicada no Diário de Cuiabá, 637 candidatos se inscreveram para revalidação de seu diploma de medicina na UFMT (Universidade Federal de Mato Grosso) neste ano e, destes, 300 tiveram seu diploma legalizado.

Confira a notícia completa no site do Diário de Cuiabá.

Graduados da Universidade de Buenos Aires (UBA) são os mais procurados na América Latina

Pesquisa feita pela consultoria britânica QS, com 9.000 contratadores de grandes empresas da América Latina, aponta que os graduados da Universidade de Buenos Aires (UBA) são os preferidos na escolha para uma vaga de trabalho. 

O ranking elaborado pela QS coloca os egressos da UBA como os de melhor reputação, entre todas as universidades da América Latina.

Confira a reportagem completa no site do Jornal Clarín.

Alternativa à Revalidação

Uma alternativa interessante para os estudantes que não querem passar pelo processo de revalidação de seu diploma é fazer uma transferência para uma faculdade brasileira antes de terminado o curso de medicina, e assim concluí-lo no Brasil.

Desta forma, o diploma recebido é o nacional, e não precisará ser revalidado.

Medicina sem vestibular na Argentina - Reportagem Jornal Hoje


Reportagem no Jornal Hoje fala sobre o grande número de brasileiros que vão à Argentina estudar, pois no país não há o exame vestibular e as faculdades são de ótima qualidade.

Ao contrário do Brasil, onde a maioria tem de trabalhar para poder pagar a faculdade, a educação na Argentina é muito valorizada, e todos têm acesso à Universidade. A mais procurada pelo estrangeiros é a Universidad de Buenos Aires (UBA), ganhadora de quatro Prêmios Nobel, gratuita e de acesso universal.

Apesar do ingresso irrestito, para os estudantes brasileiros são necessários diversos trâmites, acordados pelo Mercosul. Por isso, recomendamos a procura de uma empresa especializada no serviço de assessoria ao estudante, como a EducAR Intercâmbios.

Como é feita a revalidação do diploma?

Atualmente, existem duas maneiras de um médico formado no exterior revalidar o seu diploma:

- A primeira é através do processo que é seguido por todos os diplomas de graduação obtidos no exterior. Pleitea-se a revalidação em qualquer Universidade Pública do país que tenha um curso na mesma área de conhecimento. Cada Universidade adota um procedimento próprio. Os passos para revalidação por este sistema são esclarecidos no site do MEC.

- A segunda é através do exame Revalida, específico para diplomas de medicina. Este exame busca padronizar e agilizar a revalidação dos diplomas médicos.

Há ainda uma terceira possibilidade, que está em fase de implantação, para diplomas de medicina obtidos em universidades credenciadas nos países do Mercosul. Se o acordo Arcu-Sul for implementado, um médico formado na Argentina poderá ter seu diploma automaticamente convalidado. 

Prova para médico com diploma do exterior

Estão abertas as incrições para o Revalida (Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos), que irá avaliar o reconhecimento dos diplomas dos candidatos formados em medicina no exterior.

As inscrições vão até o dia 10 de julho, pelo site revalida.inep.gov.br. No último exame, foram 628 inscritos, porém somente 281 compareceram às provas. Destes, somente 2 tiveram seus diplomas revalidados. Assim, devido ao baixo índice de aprovação, o Ministério de Educação prometeu reformular o exame,  que se encontra ainda em fase de implantação, pois a nota de corte havia sido excessiva.

O Revalida é feito para diplomas obtidos em Universidades de todo o mundo, diferentemente do acordo Arcu-Sul, que, se for implantado, visa a validação automática dos diplomas recebidos somente nos países do Mercosul. Assim, um médico formado na Argentina terá essas duas opções para revalidar o seu diploma.

Brasil deve rever regras para revalidação do diploma

O Conselho Nacional de Educação começa a rever as regras de revalidação dos diplomas expedidos no exterior, para tornar o processo menos burocrático e mais ágil.

Atualmente, cabe às universidades públicas a tarefa de validar os diplomas obtidos em instituições estrangeiras, cada uma com um processo próprio. A ideia é estabelecer regras e procedimentos gerais.

Confira a notícia aqui.

Revalidação de diplomas mais próxima

O acordo Arcu-Sul, que visa o credenciamento e a validação automática dos diplomas recebidos nos países do Mercosul, recebeu parecer favorável da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE), dia 12/05/2011.

Sendo aprovado, haverá um credenciamento de cursos de graduação nos países do Mercosul, garantindo assim a qualidade das Universidades cadastradas, e os diplomas recebidos serão válidos em todos os países do bloco.

No entanto, é importante salientar que somente os diplomas das Universidades que serão credenciadas, com base em critérios de qualidade, serão automaticamente válidos. Assim, é imprescindível o estudante buscar uma Universidade de excelência, como a Universidade de Buenos Aires (UBA), ganhadora de três Prêmios Nobel na área de medicina e umas das melhores da América Latina.

Leia mais sobre o parecer favorável e sobre o acordo Arcu-Sul.

Validação do diploma de médico advindo do Mercosul

Notícia publicada em 11/05/2011 pelo Conselho Regional de Medicina de Pernambuco informa que médicos advindos de países do Mercosul, incluso Argentina, têm seus diplomas obrigatoriamente validados no Brasil:

"Em resposta ao Conselho Federal de Medicina, o Ministério das Relações Exteriores esclareceu que médicos advindos de países que fazem parte do Mercosul (Argentina, Paraguai e Uruguai), da Bolívia e do Chile têm seus diplomas obrigatoriamente validados no Brasil em razão de um acordo internacional. Com isso, os médicos podem obter residência médica apenas comprovando serem nacionais de um dos países signatários do acordo. Não será necessário qualquer tipo de visto como requisito para o registro nos Conselhos de Fiscalização de Profissão Regulamentada. Além disso, os médicos argentinos, paraguaios, uruguaios, bolivianos e chilenos estarão sujeitos aos mesmos direitos e obrigações dos médicos brasileiros."

A notícia não fala sobre médicos brasileiros formados no exterior, mas de qualquer forma já é um grande avanço em relação à validação automática dos diplomas dos médicos brasileiros formados na Argentina.

Brasileiros vão estudar medicina na Argentina, sem vestibular

"Em vez de vestibular, os pretendentes a uma faculdade pública na Argentina fazem o chamado ciclo básico comum, conhecido como CBC, um curso pré-graduação que dura cerca de um ano. Para quem quer seguir medicina, há ênfase nas aulas de biologia e química.

Ao longo do curso, que já conta como primeiro ano de universidade, são aplicados exames regularmente. Na Universidade de Buenos Aires (UBA), o curso de medicina é o mais concorrido: teve 5.986 inscritos em 2010. Nas faculdades privadas, esse curso é mais rápido, em torno de três meses." *

Apesar de não haver vestibular para ingresso, são necessários diversos trâmites para a matrícula na faculade. Assim, recomendamos a procura de uma empresa especializada no assunto: EducAR Intercâmbios.

* Parte do texto apresentado no jornal Valor Econômico, 31/05/2010

Medicina sem vestibular na Argentina

Você  já imaginou ingressar na faculdade dos seus sonhos e sem ter de prestar o exame vestibular?

Estudar medicina sem vestibular é possível aqui do lado mesmo, na nossa vizinha Argentina. O país conta com universidades mundialmente conhecidas e possui como forma de admissão cursos preparatórios para a graduação, que são relativos já à Medicina. Este é o modelo europeu de acesso à universidade, sem vestibular.

A principal universidade argentina é a famosa UBA – Universidad de Buenos Aires, cujo ingresso é feito através do curso introdutório chamado CBC, Ciclo Básico Común, que corresponde ao primeiro ano de estudos universitários.

O objetivo do CBC é oferecer ao aluno uma formação básica, integral e inter-disciplinar; desenvolver o pensamento crítico; consolidar metodologias de aprendizagem; contribuir para uma formação ética, civil e democrática.
 
E o melhor de tudo: não existe número de vagas disponíveis na UBA. Quem tirar as notas na média é aprovado. Quem não aprovar nem na primeira prova e nem nas duas recuperações, deverá fazer somente as matérias não aprovadas novamente, não há necessidade de fazer todo o CBC outra vez.

Realize seu sonho: estude medicina, sem vestibular! Entre em contato com a EducAR Intercâmbios e descubra mais.